Fotballkveld

O Brasil é o país do futebol, goste ou não, e não temos como discordar disso. Existe casos, escassos, de brasileiros que não gostem de futebol,  mas acredito que 93,7% da população brasileira entenda minimanente de futebol. Dentro desse valor tem os fanáticos, os que gostam bastante, os que acham que entendem muitos, e os que sabem quando gritar gol pro time certo. Esses números se referem à jogos nacionais: campeonatos estaduais e o Brasileirão. Quando falamos em Copa da Mundo esse numero só não vira 100% porque temos índios isolados na floresta amazônica.

Eu gosto de pensar sobre mim como uma mistura dos que acham que entendem com os que gostam bastante. Cresci numa família carioca e, como não podia ser diferente, flamenguista. Pai, um irmão, 3 tios e 3 tias, avó (em memória), muitos primos e primas, e agora já filhos de primos, todos flamenguistas. Foram muitos almoços de domingo passados com uniforme em frente a televisão. Quando não era na televisão era no Maracanã. Não foram tantas vezes assim no estádio, mas quem já assistiu algum jogo ao vivo sabe a emoção que é ouvir a torcida cantar e incentivar o time, e principalmente, gritar gol. E no caso do Flamengo, ser campeão estadual e brasileiro. (MENGO!) Certas coisas não tem como descrever da mesma forma que podemos sentir.

Mesmo assim, nunca me ví como fanática, e conforme fui ficando mais velha  com mais idade, deixei de acompanhar mais de perto o clube e os jogos. Acompanhava mais através do meu pai e do meu irmão quando comentavam algo sobre o time, ou quando era algum jogo importante ou decisivo.  E foi ficando por isso mesmo, tanto que nunca assisti um jogo no Maracanã novo e não tenho mais certeza quem é o técnico ou dizer o nome de algum jogador que não seja o Leo Moura.

Aqui estou eu, longe de tudo, e sentindo falta de um joguinho, de torcer por alguém… Nunca me dei conta de o quanto futebol pode ser legal além do seu time e da questão da família. E ontem me peguei assistindo a um jogo do Brann, o time local de Bergen, e um dos maiores da Noruega. Assisti os 90 min, torcendo como se fosse o Flamengo. Faltam dois jogos para o fim da temporada e o Braan precisa ganhar para não ser rebaixado. Sei bem como é esse sentimento.

Vale lembrar, antes de tudo, que o Brann é um time da Noruega, que nunca se destacou pelo desempenho com a bola. Coloca junto disso o fato do Brann nunca ter sido um time de destaque e que só ganhou o campeonato uma única vez, em 2007.  Se você esta cansado de como os brasileiros tem jogado uma partida aí no Brasil é só assistir um partida aqui que você vai mudar de ideia. É diferente assistir um jogo aqui: o ritmo e as jogadas… a gente tem um padrão de futebol bem diferente. E fora que ainda tenho que aprender como são alguma palavras em norueguês como impedimento, penalti, falta… mas o principal eu já sei “Mål” é gol. Não foram muitos do Brann até agora, mas…

Quem não tem Flamengo, torce pro Brann, que pelo menos é vermelho também, mas um vermelho mais América do que rubro. E assim eu mato um pouco a saudade dos jogos, da família e de torcer.

Brann Logo

 

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Fotballkveld

  1. Eliana Sa Barretto disse:

    Estou gostando muito do seu blog Gaby… voce tem mesmo muito jeito com esse negocio e deveria ver se arruma alguma coisa que voce possa fazer dai para alguma rede de TV aqui no Brasil.
    O Finn tambem assistiu a esse jogo.
    Bjss

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s