Como ser um imigrante feliz na Noruega.

Quando você pesquisa experiências de pessoas que foram morar em outro país você encontra de tudo: gente que se deu bem e que se deu mal, que passou perrengue, que amou, que odiou, que está feliz e que está triste. O que devemos tentar fazer é pescar um pouco de cada e tentar aprender com elas, mas sabendo que cada um é de um jeito e que cada experiência é única e não é por que aconteceu com uma pessoa que vai acontecer com você, mas também não é porque já aconteceu com uma que não vai acontecer com você.

Screen Shot 2015-05-20 at 17.04.25Numa dessas minhas diversas leituras encontrei o blog da francesa Lorelou, chamado A Frog in the Fjord. Os textos dela são bem elaborados, bem descritivos e de imediata identificação. Além do que ela é sempre muito positiva a todos os acontecimentos e peculiaridades envolvendo qualquer ação envolvendo adaptar-se à uma nova cultura. Volta e meia compartilho alguns de seus artigos no Facebook e  tem até um link para o blog dela aqui do lado, no Blogroll.

Como seus texto são na maioria em inglês, com muitos em norueguês (veldig bra!), achei que valia a pena traduzir em particular o artigo em que ela dá dicas de “Como ser um Imigrante feliz na Noruega. Mandei um e-mail para ela que rapidamente me respondeu a aprovou a ideia. A verdade que ela escreve que essas dicas para sermos imigrantes felizes, mas a outra verdade é que essas dicas servem para todo mundo levar uma vida mais feliz. O texto foi traduzido livremente por mim e tudo o que estiver “em itálico, negrito e entre aspas” expressa a minha opinião.


(This text is a translation of “How to be a happy immigrant in Norway?” fom the blog http://afroginthefjord.com/)

1. Aceite as coisas e as pessoas como elas são.

Aceite que aqui é um outro país com sua própria cultura. Claro, metade do quê os noruegueses fazem é novo e diferente para você, mas para eles esse é o normal. É o mesmo no mundo inteiro: pessoas fazem coisas de uma certa maneira e elas estão certas de que essa é a única e melhor maneira de fazê-la. Esse é o caso para os franceses, americanos, “brasileiros” etc… Eles talvez possam saber como os países vizinhos faça as coisas, mas para por aí.

Como um emigrante, você tem diferentes opiniões, claro. Você quer fazer coisas loucas como comer (…)“bolo no café da manhã, comer um prato quente no almoço e jantar as 8 da noite, assistir mais TV do que ouvir rádio e ficar cancelar um compromisso se o tempo estiver ruim” . Sai dessa, esse país é diferente. Caso você queira ser feliz vivendo aqui você precisa aceitar as coisas como elas são e seguir em frente ao invés de reclamar. Você pode mostrar (…)outros itens para comer do café da manhã além de mingau e cereal”. Eles podem achar estranho e você pode dizer ainda que é apenas diferente. Você não precisa julgar o que os noruegueses fazem só porque é diferente, eles podem julgar você de volta. Lembre-se: você não vai mudar a Noruega.

2 – Seja gentil com você mesma.

Isso pode ser um pouco duro, mas eu realmente acredito que umas das chaves para felicidade em geral é manter suas expectativas baixas. Isso também se aplica para Noruega da vida social ao tempo que você demora para aprender a língua. Você espera fazer 100 amigos no primeiro ano que você mudou para cá? Você realmente precisa de 100 amigos? Talvez 3 bons amigos seja melhor do que do que 100 conhecidos. Esse é um país onde as pessoas já fizeram seu amigos na escola e você esta 10 anos atrasado. Você esta aqui há dois anos e ainda não entende as propagandas no ônibus? Bem, você esta num processo de aprendizagem, tudo leva tempo então seja gentil com você mesmo. Você pode saber mais do que acredita. Você esperava ter um trabalho que se encaixasse exatamente na sua formação ou um trabalho no seu país dentro de um ano? Talvez você tenha que aceitar uma posição abaixo da sua, como uma solução temporária, e arrumar um trabalho melhor depois.

Definir metas rígidas para si mesmo pode ajudar, mas também pode te mostrar frustrações ao invés do processo que você fez. Se você tivesse se mudado para outro país as coisas seriam mais fáceis? Talvez não. A imigração é sempre difícil, e adaptação leva tempo. Leia também (em inglês) “Como ser fluente em norueguês ou morra tentando“.

3. Aproveite tudo que é tão especial para Noruega

Eu conheci tantos estrangeiros, especialmente europeus ocidentais, reclamando todo o dia sobre a Noruega, mas há certamente coisas que são melhor aqui do que onde você mora. Claro, as coisas são mais baratos no seu país. Mas, você tem fiordes no seu país? Sim, eu sei, tem mais opções de queijos e alimentos “(carnes, muitas carnes)” em geral no seu país. Mas tem rakfisk no seu país? Ou substitua rakfisk por qualquer comida norueguesa você gosta – kanellbolle”. Você pode não ficar aqui para sempre, então você precisa aproveitar  tudo o que há de tão especial e único aqui, como a licença maternidade longa, a natureza deslumbrante e cultura peculiar. Onde mais no mundo você pode desfrutar de tanta natureza tão perto de cidades? Foque também nas oportunidades, não apenas nos obstáculos. Veja também (em inglês) Como se integrar na Noruega.

4. Tenha sua própria opinião

Se você acabou de se mudar para cá, você pode procurar na internet e encontrar uma quantidade inacreditável de páginas, livros, blogs “(incluindo o meu e o dela)” que contam como é a vida na Noruega. Lembre-se estes são apenas indícios subjetivos para a Noruega visto através dos olhos de outra pessoa. Isto pode não ser a maneira que você vai ver e apreciar as coisas e as pessoas na Noruega. Generalização são perigosas, lembre-se que há diversidade na Noruega. Os 2 km² aonde você vive e as 30 pessoas com quem você interage, do o escritório ao caixa do supermercado, não representam os 5 milhões de habitantes deste país.

5. Saiba aonde você está.

Talvez você seguiu o seu amor, talvez você encontrou um emprego, talvez você fugiu do seu país em guerra, talvez você decidiu tentar a sua sorte e fazer algum dinheiro na Noruega. Eu identifiquei quatro razões para a imigração para a Noruega: Amor, Trabalho, Estudos e Guerra. Talvez você esteja aqui por um curto período de tempo e então tem ainda mais razões para aproveitar o máximo que puder enquanto estiver aqui. Você pode ter se apaixonado por um norueguês, mas isso não significa que você só deve se encontrar com amigos do seu parceiro. Faça a sua própria vida! Você pode não ter escolhido vir para a Noruega, mas isso não significa que você não deve aproveitar. (…) Se você quiser desfrutar das coisas aqui você vai precisar se esforçar mais. A menos que sua vida ideal seja tricotar sozinha na frente da TV, então você não vai precisar fazer muito esforço para socializar e integrar na sociedade norueguesa.

6. Seja você mesmo

Todo mundo está dizendo que você precisa comprar um esqui para ser um bom imigrante, e gostar de brunost, um tipo de queijo de cabra, marrom, que mais parece doce de leite, mas é queijo de cabra e comer knekkebrød, “um tipo de bolacha integral retangular”, todos os dias. Se você não gosta, não coma. Há muitos noruegueses que odeiam esqui, sentem repulsa pelo gosto de aquavit, “a cachaça deles”, e preferem deitar numa praia à fazer caminhadas por 9 horas em Jotunheimen. Eles só não gritam para o mundo, mas eu conheço muitos. Então relaxe, e seja você mesmo! Para mim, eu acho que ser feliz aqui requer um equilíbrio entre a vida norueguesa e vida/cultura da minha própria casa. Encontrar outros franceses, falar a minha própria língua, comer a comida da minha infância, reclamar sobre as coisas na Noruega que ainda são tão difícil para mim e rir sobre isso. Ninguém nunca disse que você deve abandonar a sua própria cultura e os amigos de casa para se encaixar. Eu conheço muitos imigrantes que fazem jantares para seus vizinhos para mostra-los sua própria comida e cultura. Quem disse que noruegueses não estão interessados em explorar novas culturas também? A melhor parte da imigração: trocas.

7. Saiba quando ir embora 

Se você sente que este país está fazendo você infeliz, porque há coisas aqui que não se encaixam​​com os seus próprios valores, com sua necessidade de sol, sua concepção de verão (que não inclui usar roupas de lã) e porque você odeia a natureza e caminhadas e montanhas. Então talvez você deve apenas ir embora. É como quando você vai fazer caminhadas na montanha, não há vergonha em ir embora antes de ter alcançado o seu objetivo (subir o Everest ou fazer da Noruega sua casa). Obviamente que isso se aplica aos imigrantes que tem uma escolha. Se você fugiu de uma guerra no seu país talvez não tenha muito a opção de voltar para casa tanto quanto um engenheiro holandês cuja empresa trouxe para trabalhar na Noruega por um altíssimo salário. Claro que existem situações mais difíceis do que outras. Para citar um comediante francês famoso comediante: Todos terão direitos iguais, mas alguns serão mais iguais do que outros (Coluche).

Se nenhum dos pontos acima lhe convenceu que existem maneiras de ser feliz na Noruega, pense nisso, você poderia estar em uma Goulag Siberian. E adivinha o quê, você não é. Está na Noruega, onde você tem os direitos trabalhistas, segurança social e vizinhos prontos para ajudá-lo se você precisar dele. Trata-se de ver o copo de água meio cheio, não meio vazio. Ninguém disse que a imigração era fácil, mas tente ao máximo para fazer o seu melhor. Eu fiz, e não foi fácil! Boa sorte!


Esse texto é maravilhoso e faz a gente para por um segundo e refletir sobres os motivos que fizemos a mudança. Nada na vida é perfeito, mas nem tudo tem que ser horrível. E por experiência própria, quando cheguei aqui era tudo  um ponto de interrogação dúvidas. Alguns coisas foram resolvidas, mas outras dúvidas surgiram e é assim que vida segue. Terminei uma parte do curso de norueguês e mesmo achando que não entendo nada, com certeza então muito mais do que quando cheguei. É mesmo como ela fala, de ser gentil com você mesma e dar valor ao que já foi conquistado.

Espero que vocês tenham gostado, e para os que falam inglês, sigam o blog dela que vale muito a pena!

Ha det bra!

Anúncios

10 comentários sobre “Como ser um imigrante feliz na Noruega.

  1. Ana Carolina Junqueira disse:

    Gabi, ficou ótima a tradução! Eu já tinha lido em inglês mas ler em português é bem melhor. É muito importante estar aberto as novidades e diferenças, muita gente só sabe reclamar e esquece de aproveitar a oportunidade. Quanto a aceitar um emprego inferior ao que eu teria em meu país, é um processo de amadurecimento, longo!

  2. Marcia Passos disse:

    Oi Gaby,
    Muito bom esse texto e quem mora fora do Brasil passa porcertos apertos pra se adaptar. Mas acho que o importante é não ir de encontro e tentar mudar os costumes e sim criar alternativas viáveis para os dois. Sofri um saco no primeiro ano aqui na Itália e olha que como dizem em muitos a Itália é o Brasil da Europa. Mas tudo bem; passou. E felizmente consigo já viver sem traumas ligados à cultura culinária ou a cultura social.
    Vc escreve super bem. Um grande abraço!

    • Oi Marcia! quanto tempo você está aí na Itália? No meu caso foi um escolha, então não dá pra só reclamar, temos que ficar aberto para mudar e adaptar. E mesmo com os lados negativos, tem sido muito bom e tenho aprendido muito! Obrigada pela visita e pelo elogio! Beijos

  3. Maria disse:

    Sou portuguesa e neste momento estou neste momento num emprego de Verão na Noruega.
    Somente de Verão. E depois acabou…
    Poderia adaptar-me bem aqui. Detesto o calor e a trepidação urbana de Lisboa, AMO montanha, frio, tempo fresco, desportos de natureza, alpinismo…Já vivi um Inverno sueco e dei-me MUITO bem com o tempo, geografia e cultura.
    Não procuro amor nenhum, não preciso 🙂 mas amizades já as encontrei. E fico feliz.
    Mas depois…ficarei triste (para mim apenas, claro)…é que obviamente não vou cá ficar pois não há espaço aqui para as minhas habilitações universitárias e falo muito pouco norueguês, não há espaço neste país para todos, naturalmente. e eu não sou especial nem tenho nenhum destino mágico á espera…
    Cumprimentos.

    • Oi Maria, realmente sem norueguês e se suas habilitações universitárias não está entre as listas do que a Noruega acredita ser essencial, fica mais difícil imigrar, porém isso nunca impediu ninguém antes. Vim com meu marido e se antes me encaixa no seu mesmo perfil, hoje já falo um pouco de norueguês e estou correndo atrás pra minhas habilitações universitárias e minha experiência de trabalho no Brasil ser também valorizada aqui. Não é trabalho de um dia para outro, é trabalho de formiguinha insistente. não me acho especial e faz tempo que deixei de acreditar num futuro mágico, mas acredito no trabalho, no esforço e na amizade. Amigos aqui fazem muita diferença. Noruega é o país do contato e, pelo visto, amigos você já tem. Obrigada pela visita, e espero sua volta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s