Imagem

Road trip para Voss e Eidfjord

“Bergen é a porta de entrada dos fiordes noruegueses” é o que vai te dizer todos os guias. De fato é daqui que partem muitos barcos e cruzeiros navegando em busca das grandes montanhas de gelo. Outra opção para conhecer os fiordes  é uma viagem muito conhecida dos turista, Noruega numa Casca de Noz,  que você pode escolher sair de trem de Bergen até Voss e depois um ônibus até Gudvangen e aí o cruzeiro até Flåm ( no site você pode escolher e montar muitas opções).

ROAD TRIP

Road Trip

Road Trip

 

Meus pais fizeram essa opção indo até Oslo, e apesar do frio, acharam tudo muito lindo. Por isso decidimos alugar um carro, que é muito em conta por aqui, e dirigir até Voss.  A sensação é de fazer Rio – Petrópolis: 90 minutos de lindas paisagem mas sem as inúmeras curvas.

 

Voss

Voss

Voss

Voss

 

VOSS

Voss é uma cidade bem pequena, micro até, e o que mais tem para fazer são atividades ao céu aberto como rafting, caiaque, parapente e claro esquiar. E é lá que fica também a Voss Brygerri, a micro cervejaria local, deliciosa by the way.

 

Treino de parapente.

Voss – Treino de parapente.

 

Confesso que nada foi planejado e como nunca tinha ido, fiquei perdida sem saber o que fazer e só ficamos de turistas, passeando e tirando fotos. Vale acrescentar que o mundo é de um tamanho de uma azeitona, enquanto almoçávamos  encontramos um casal de Bergen –  brasileira e norueguês – e que o rapaz já tinha conhecido a mãe do Bjørn, no avião, quando ela vinha do Rio para Bergen. Mundo pequeno ou não?

EIDFJORD

Seguindo nossa viagem, aceitei a dica de uma amiga e seguimos para Edifjord, mais uns 40 minutos de estrada. Preciso confessar para vocês: que paisagem de tirar o fôlego! Eidfjord é menor ainda que Voss, e até agora não sei o que tem para se fazer lá a não ser admirar a paisagem. Ela é umas das cidades que você vê em foto, quase uma praia no fim do encontro dos fiordes.

Eidfjord

Eidfjord

Hotel Eidfjord

Hotel Eidfjord

 

E culminado com a vista linda, 19ºC , sem vento e uma cerveja gelada. Quando você vem morar em lugar frio, o que mais se dá valor é o sol esquentando sua pele. E assim ficamos. Passamos o resto da tarde/noite sentados no Quality Hotel & Resort Vøringfoss e só curtindo o sol e a paisagem.

 

SONY DSC

Meus pais curtindo o verão norueguês!

Bjørnfjord

Bjørn ❤

Eidfjord

Meu pais

 

Pegamos a estrada para casa já eram quase 22h e a vantagem do verão é que voltamos com o sol se pondo ainda. Foi uma viagem cansativa, até porque erramos o caminho na volta, mais por falta de atenção do que por falta de placas, mas muito recompensadora. Além da vista linda ainda vimos alguns animas selvagens, como cervo.

 

SONY DSC

Vista da janela

 

E se você quiser ver mais fotos, pode dar uma passadinha lá no Flickr que tem mais coisa lá!

DICAS

Por ser perto de Bergen, optamos por alugar um carro e fazer uma bate-volta, ao invés de ir de trem/ônibus e passar a noite em uma dessas cidades. A estrada é bem sinalizada e mesmo sem um mapa decente conseguimos nos achar direitinho. A dica é prestar atenção nos pedágios. Aqui todos os carros tem um chip e eles mandam a conta do pedágio para sua casa, você não paga na hora. O valor final pode ser uma surpresa. Existem muitos pedágios dentro das cidades, que normalmente são baratos e os interestaduais são mais caros. Não é muito para os norueguês, mas para quem tá de férias aqui pode ser uma surpresa inesperada.

Outra dica é prestar atenção quando você estacionar. Sempre procurar a máquina de pagar o estacionamento e colocar o comprovante no carro. Poucos estacionamento você paga na saída. Acredite, você não quer correr o risco de levar uma multa. Você até pode recorrer, mas uma vez que você aceita dirigir em outro país você assume que conhece as leis de transito locais.  fuén!

A ultima dica é botar a mão no bolso e ir até o hotel de Eidfjord, passar a noite num dos quartos de frente para o fjord e aproveitar por do sol da varanda. Deve ser encantador. Sobre hospedagem em geral, tanto em Voss quanto Eidfjord existem opções mais baratas com Airbnb e muitos espaços para acampar.

Latte, IPA e Aking

Muito tempo sem escrever = muita coisa pra contar + um pouco de preguiça.

Desde a última nevasca e post, o tempo virou, ontem fez -6ºC mas os dias estão incríveis. O que rendeu passeio, lugares novos, e fotos lindas.

Finalmente tomei um café gostoso. Seguindo uma das dicas fui na “Det Lille Kaffekompaniet“, que como o nome sugere significa “A Pequena Companhia de Café”. Pedi um latte, single pra mim, e double, pro Bjørn acompanhado e um bolo de maça. Difícil dizer o que estava tão gostoso. O café foi tão bem tirado que nem precisei adoçar – Bjørn me ensinou que quando o café é bem tirado ele não fica tão amargo. Procede?

Latte

Latte

Continuar lendo

Imagem

Fui lá e flanei!

Primeiro não tem como não agradecer todo mundo que leu, comentou e deu dica. Tanto no Facebook quanto por aqui, foram tantos comentário que fiquei surpresa e feliz que tem um monte gente lendo e gostado do blog. Esse feedback só me faz querer escrever mais e flanar mais por Bergen.

E por falar em flanar… flanei. Na verdade não sei bem se foi flanar, mas fui num café e fiquei lá uma hora inteira! Li revista, observei a loja, os funcionários e os outros clientes e também o que tinha do lado de fora. E quase não usei o telefone, apesar de ter wi-fi, para mergulhar melhor na experiência.

Comecei quebrando a regra do FourSquare e escolhi um café que já conhecia por dois motivos: localização e simbolismo.

Continuar lendo

O que eu faço na Noruega – ou eu não sei flanar

Com aproximadamente 250 mil habitantes você pode imaginar que não tem muita coisa para fazer aqui em Bergen. Principalmente se você comparar com o Rio, que quase nunca tem nada pra fazer mas tem um pouco mais de seis milhões de pessoas.  Não sei se eu é que sou nova por aqui, mas sempre tem algo pra fazer, alguma festa, show, evento além de bares e restaurantes… e por aí vai.

Mas, o que eu faço aqui? Fim de semana a gente vai tomar uma cerveja, as vezes assistimos a um show ou passeamos em algum lugar que a gente não conheça. Agora, durante a semana, é bem diferente.

Confesso que sou bem dependente de pessoas pra fazer coisas e sempre justifico isso dizendo que gosto de dividir reações e opiniões. Como ir no cinema sozinha: não chega nem perto de ir no cinema acompanhada. Um segunda pessoa, ou mais, é bom pra dividir a pipoca, fazer piadas internas, reclamar das outras pessoas que estão falando, comentar sobre o filme antes, durante e depois dos filme. É tão mais legal! Já, já fui sim no cinema sozinha e não foi deprimente, mas foi como se eu não tivesse ido, ninguém vai saber.

Então, durante a semana, principalmente agora que estou de férias do curso de Norueguês, quase não saio de casa. Eu saio quando tenho que comprar algo ou vou na casa da minha amiga estudar, mas não é tipo “vou passear pela cidade sem nada pra fazer e descobrir novos lugares”. Eu não sei fazer isso. Eu não sei flanar.

É lindo quando vemos nos filmes, ou lemos nos livros, pessoas chiques que sentam em cafeterias, tomam um café curto e fumam um cigarro numa mesinha redonda em frente a vitrine e o observam o mundo rodar lá fora. Ou, quando nos filmes do Woddy Allen, os personagens passeiam pela cidade parando a cada lojinha ou simplesmente, sentados no banco da praça,  admiram as particularidades dos transeuntes. Gente, não dá! Depois que o café acabou não tem mais nada pra fazer, pega a bolsa, paga a conta e vai embora. E quanto tempo podemos ficar zazando pela rua sem fazer nada, sem nenhum objetivo? Eu pelo menos não muito tempo.

Antes que eu pareça uma chata, não acho ruim quem gosta de flanar, acho que é uma arte,  mas eu realmente não consigo. Sou muito ansiosa, com muita coisa na cabeça pra conseguir ficar parada num lugar. Realmente admiro quem faz isso porque nesse tempo você se permite conhecer a cidade, lugares novos, e aprende a ficar com você mesmo.

Por isso, pensei muito sobre isso, e achei que poderia ser bem interessante fazer um experimento: pelo menos uma vez por semana ir num lugar diferente, tipo um café, ou um restaurante, e até mesmo no cinema, e depois escrever sobre o lugar e sobre a experiência.

Como escolher os lugares? Achei que a melhor maneira seria através do aplicativo Foursquare. Lá vão ter várias sugestões de diferentes lugares e a ideia é começar pelos cafés mais bem votados. Sentar, pedir um café e fazer um review do local e do que tem ao redor.

Vai ser um bom jeito de conhecer a cidade sozinha, e mais ainda, vai ser uma ótima maneira de manter vocês atualizados sobre o que tem que legal pra fazer por aqui. Esperem até o fim da semana eu vou ter um novo post pra vocês!

Ha det! (bye bye em norueguês – pronuncia-se “ra da” como ra, em rato e da, em dado)